Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • veículos pesados, empresas do setor veículos pesados, empresas do segmento veículos pesados, setor veículos pesados, carroçarias, empresas do setor carroçarias, setor carroçarias, economia, macroeconomia
    Nas últimas décadas, a palavra mobilidade, atributo utilizado para se referir à capacidade e possibilidades das pessoas se deslocarem, tem sido amplamente utilizada em um contexto de crescimento da urbanização e dos problemas decorrentes desse, sobretudo o trânsito e a degradação do meio ambiente. 

    A maioria dos veículos utilizados até hoje é de origem fóssil, no entanto, cada vez mais, a indústria vem buscando o desenvolvimento de veículos com tecnologias que reduzam as emissões de poluentes. Tais inovações do setor acompanham a demanda atual da sociedade e das empresas em busca de soluções sustentáveis para o meio ambiente e com rentabilidade.

    Em 2020, diante da crise do Covid-19, pesquisas vêm apontando diversas mudanças nos hábitos de consumo da sociedade, diante da ruptura causada pela pandemia na normalidade do ecossistema global.

    Diante disso, pode-se dizer que, a crise impulsionou um processo - que já vinha acontecendo -, de maior conscientização da sociedade, inclusive acelerando o processo de desenvolvimento das fabricantes de caminhões e ônibus de soluções de combustíveis alternativos no mercado interno, destaque para os caminhões elétricos, movidos a gás natural e hidrogênio. Em outubro de 2020, a Volkswagen confirmou a venda de seus primeiros 100 caminhões elétricos para a Ambev, o e-Delivery, o primeiro caminhão elétrico criado e produzido no Brasil, caminhão que funciona a bateria, com autonomia de até 200 km.

    Vale lembrar que, embora os trólebus existam há décadas no Brasil, eles funcionam com fiação aérea. Foi em 2013 que a Eletra, empresa nacional, lançou o primeiro ônibus elétrico urbano criado e produzido no Brasil, com fonte de energia de baterias e que também possibilitava uma autonomia de até 200 km. 

    Desde então, somadas ao dessa tecnologia em caminhões, passaram a surgir outras parcerias para o desenvolvimento de ônibus elétricos no Brasil. Em 2015, a chinesa BYD, maior fabricante mundial de baterias recarregáveis e veículos 100% elétricos, abriu sua primeira fábrica em Campinas (SP) para a produção de ônibus elétricos.

    Por fim, neste segundo semestre de 2020, com apoio da EDP Smart, divisão de soluções em energia da empresa do setor elétrico EDP, iniciou-se a operação de projetos pilotos de ônibus elétrico rodoviário nos estados do Rio Grande do Sul e Espírito Santo. Os modelos possuem autonomia de até 300 km, com chassi desenvolvido pela BYD e carrocerias da Marcopolo.

    Especialista do Setor Laís Soares.