Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • siderurgia, empresas do setor siderurgia, empresas do segmento siderurgia, setor siderurgia, segmento siderurgia, economia, macroeconomia
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2020
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Marcel Carneiro
    Na comparação do primeiro semestre de 2020 com igual período de 2019, a produção siderúrgica no Brasil apresentou retração em todos os segmentos analisados. Segundo dados do Instituto Aço Brasil (IABR), a produção de aço bruto recuou 17,9% e a produção laminados recuou 14,7%. Na comparação de junho contra igual mês do ano anterior, a retração nos dois segmentos foi de 27,9% e 15,5%, respectivamente.

    A forte retração da produção do setor está em linha com o cenário econômico e o desempenho dos setores demandantes, com destaque para o setor automotivo, que apresentou ao longo do primeiro semestre uma retração significativa da produção.

    Para o segundo semestre, as perspectivas para o setor apontam para uma recuperação em relação ao observado até junho. Segundo divulgado pelo IABR, o Índice de Confiança da Indústria do Aço (ICIA) de julho ultrapassou o patamar de 50 pontos, linha divisória entre a confiança e a falta de confiança. A volta da confiança do setor em julho se deveu, preponderantemente, aos indícios de recuperação no 2º semestre. O ICIA cresceu 15,9 pontos na comparação com o mês anterior e atingiu 62,8 pontos. Com esse resultado, o ICIA se aproxima do patamar pré-pandemia do COVID-19 (70,2 pontos em fevereiro).

    No entanto, a Lafis destaca que apesar da melhoria esperada para a segunda parte do ano, as projeções ainda apontam para uma diminuição da produção em termos anuais, pois além dos péssimos dados apresentados, sobretudo no segundo trimestre, a crise do coronavírus elevou o número de desempregados no País, o que deve resultar em um menor potencial de consumo do mercado interno, mesmo em um cenário pós-pandêmico. 

    Especialista do Setor Marcel Tau.