Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • siderurgia, empresas do setor siderurgia, empresas do segmento siderurgia, setor siderurgia, segmento siderurgia, economia, macroeconomia
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2020
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Marcel Carneiro
    Ao longo de 2019, o setor siderúrgico apresentou, em todos os segmentos, redução do volume de produção em relação ao ano anterior. Considerando dados dos últimos 12 meses até novembro 2019, a produção de aço bruto recuou 8,5%, de aços longos 3,6% e aços planos 7,14%. 

    Levando em consideração o volume de produção dos últimos 10 anos, nota-se que a produção siderúrgica manteve, em 2019, um patamar de produção relativamente baixo, em linha com o ritmo da atividade econômica e com as dificuldades apresentadas pelos setores demandantes de aço.

    Neste sentido, a produção de aços longos, que tem como importante destino de seus produtos o setor da construção civil, apresentou a maior redução em relação aos recordes de produção, com volume atual 25% inferior aos recordes históricos.

    Ainda em relação ao segmento de aços longos, a Lafis considera que, diante da retomada do mercado imobiliário, mas ainda sem grandes recuperações no segmento de grandes obras de infraestrutura, o segmento tenha potencial de mostrar melhores resultados em 2019, mas ainda aquém do volume de produção observado antes da recessão econômica brasileira.

    No segmento de aços planos, o maior nível de crescimento econômico esperado para 2020 pode contribuir para a demanda por bens de consumo duráveis que utilizam aço, tais como produtos da linha branca e automóveis, além de outros produtos, como, por exemplo, embalagens de aço. No entanto, os efeitos da crise econômica Argentina e seu impacto nos embarques de produtos nacionais para o país vizinho deve ser considerado na análise setorial, podendo contrabalancear o crescimento moderado esperado para atividade econômica interna.

    Especialista do Setor Marcel Tau