Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • seguros, empresas do setor seguros, empresas do segmento seguros, setor seguros, segmento seguros, economia, macroeconomia
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2021
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Fernanda Rodrigues
    No início de outubro deste ano, Solange Vieira deixou o comando da Susep (Superintendência de Seguros Privados) após quase 3 anos na função. A decisão foi tomada pelo atual Ministro da Economia, Paulo Guedes, que a direcionou para a condução de relevante projeto no BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), como a implementação de programas estratégicos da agenda econômica a serem realizados com a intermediação do banco. Interinamente, o diretor técnico da Susep, Rafael Scherre, assumirá o comando do órgão regulador até a definição de um novo nome.

    Apesar da troca, a expectativa é que muitos dos projetos iniciados por Solange Vieira tenham continuidade, independente do novo comando. Isto porque o objetivo da Susep, nos últimos anos, tem sido promover uma maior desburocratização, bem como incentivar a inovação de serviços e de processos. Estas estratégias foram incentivadas e aceleradas pela pandemia e seu contexto de distanciamento social, o que levou a uma maior busca por serviços remotos e plataformas digitais, além do surgimento de novas necessidades e perfis de usuários.

    Neste sentido, a Susep publicou, no início deste segundo semestre, o edital de seleção para a segunda turma do “sandbox” regulatório. Foram selecionados 21 projetos para participar desta segunda edição, dando início a um processo de autorização que permitirá às empresas participantes atuar no mercado securitário nacional por três anos com menor custo regulatório e maior flexibilidade para criar novos produtos e serviços. Nesta edição foram contemplados mais dois ramos, seguro agrícola e fiança locatícia, mas o ramo de automóveis foi o que teve mais projetos selecionados. Outros projetos que entraram foram os microsseguros de danos para pequeno empreendedor, bicicletas, pets, caminhões, e passagem aérea e hotéis.

    Especialista do Setor Fernanda Rodrigues