Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • meios de pagamento, empresas do setor meios de pagamento, empresas do segmento meios de pagamento, setor meios de pagamento, segmento meios de pagamento, economia, macroeconomia
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2011
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Fernanda Rodrigues

    A Credicard, empresa de soluções de crédito do Citigroup, anunciou na última segunda, dia 11, a sua entrada no segmento de refinanciamento de imóveis, em parceria com a Brazilian Mortgages, pertencente ao Grupo BFRE (Brazilian Finance Real Estate), do setor financeiro imobiliário.

    Nesse modelo de empréstimo, onde o tomador do crédito deixa como garantia um imóvel que esteja em seu nome, ainda se encontra incipiente no Brasil, além de ser importante ressaltar que o empréstimo pode ser requisitado para  qualquer finalidade. Outras instituições financeiras já começaram a oferecer produtos e serviços como este, como o HSBC, Itaú e Bradesco, porém ainda se mostra pouco expressivo na comparação do  mercado de crédito imobiliário no Brasil com o norte americano, na qual apresenta taxa de participação superior a 60%

    Entretanto, é importante lembrar que a falta de controle sobre a qualidade de crédito foi a causa da crise no mercado de hipotecas iniciado em 2008. Mas segundo informações da Credicard e do BFRE, existem níveis seguros para oferecer o financiamento, como a informação de que o valor da quantia solicitada pelo cliente não pode ultrapassar 50% do valor do imóvel além de, também, o comprometimento da renda familiar do adquirente para o pagamento da dívida deve ser menor que 30%. O teto máximo de empréstimo também é estabelecido em R$ 750 mil, sendo o mínimo R$ 25 mil. Assim, as instituições veem mostrando grande interesse neste tipo de financiamento, devido às boas perspectivas da economia brasileira, que vem se fortalecendo gradativamente, favorecendo diretamente os resultados e perspectivas quanto ao mercado de trabalho, o que demonstra que o brasileiro cada vez mais saberá aprender a contrair dívidas, com um maior controle.