Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • bancos, itau empresas, c6 bank, bancos brasileiros, bancen, banco caixa, bancos digitais, financiamento itau, safra financiamentos, banco 24hs, instituições financeiras, banco online, sisbacen, bmg, consorcio sicredi, bitcoin banco, emprestimo online, emprestimo para negativado, crédito, creditas, serasa ecred, emprestimo consignado, cooperativas de crédito, cooperativa de credito
    No início de julho, o Itaú Unibanco anunciou que adquiriu de 20% a 30% do capital da Ideal Invest, gestora de crédito universitário, por meio de aumento de capital. De acordo com acionistas da Ideal Invest, a operação foi fechada nesse intervalo percentual para que o Itaú tenha uma participação relevante, mas que não altere a gestão da companhia. Entretanto o valor da transação não foi revelado.

    O relacionamento comercial do Ideal Invest com o Itaú teve início há cerca de um ano, quando o banco passou a administrar os contratos de financiamento estudantil, contando hoje com cerca de 30 mil alunos /clientes. O principal concorrente do Ideal é o Fies, programa do governo federal, com juros anuais de 3,4% contra 12% da gestora. Em contrapartida, o Ideal concede financiamento para alunos com renda familiar acima de 10 salários mínimos, para alunos de pós-graduação e ensino á distância, benefícios não concedidos pelo MEC.

    No final do ano passado, ocorreram outras movimentações entre os sócios da Ideal Invest. O Gávea, que estava no capital da empresa desde 2007, vendeu sua participação para o DLJ South American Partners, assim como o Pragma, "family office" responsável pela administração dos recursos dos fundadores da Natura, que também vendeu suas ações para o grupo de fundadores da Ideal Invest. Além disso, a gestora de crédito universitário também tem como sócio o IFC (braço privado do Banco Mundial), que em 2009 fez um aporte de R$ 12 milhões. O segmento de concessão de crédito estudantil e universitário possui boas perspectivas de crescimento no país, tendo em vista uma considerável melhora das variáveis do mercado de trabalho, como desemprego e massa salarial, que podem acarretar em maiores gastos com educação.