Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • bancos, itau empresas, c6 bank, bancos brasileiros, bancen, banco caixa, bancos digitais, financiamento itau, safra financiamentos, banco 24hs, instituições financeiras, banco online, sisbacen, bmg, consorcio sicredi, bitcoin banco, emprestimo online, emprestimo para negativado, crédito, creditas, serasa ecred, emprestimo consignado, cooperativas de crédito, cooperativa de credito
    No dia 4 de dezembro de 2018, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lançou seu novo livro gratuito: “Como fazer os juros serem mais baixos no Brasil”. A edição traz as principais medidas necessárias, sob o ponto de vista da Febraban, para a redução dos juros no país como forma de melhorar a oferta de crédito e reduzir a inadimplência, além de outros temas como o spread bancário e a concentração bancária, entre outras resoluções.

    Dentre as principais medidas discutidas no livro, estão: i) cadastro positivo, cujo projeto de lei está em análise no Congresso Nacional e visa a inclusão automática de consumidores no cadastro de bons pagadores; ii) lei de falência, que atualmente permite que apenas 15% do valor da garantia seja recuperado pelos bancos, enquanto em outros países vizinhos e emergentes esse percentual é superior a 60%; e iii) liberdade tarifária, já que muitas tarifas seguem as regras do Banco Central, mas são isentas para fintechs, que prestam serviços bancários de forma gratuita.

    Para a Lafis, o sucesso da implantação destas medidas favorecerá a melhora no cenário econômico geral, uma vez que, diante da redução dos custos de intermediação financeira e do risco de inadimplência, maior será o estímulo à oferta de um crédito mais barato, tanto para as famílias quanto para as empresas, o que poderá impulsionar o consumo e os investimentos não apenas para a retomada da capacidade até então ociosa, mas também sua expansão e modernização. As incertezas, porém, ficam por conta da aprovação destas medidas e o tempo necessário para implementá-las.

    Especialista do Setor Fernanda Rodrigues.