Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • comércio varejista, setor comércio varejista, economia, macroeconomia, varejo, setor varejo,empresas do setor varejo, empresas do segmento varejo
    Em janeiro de 2021, o volume de vendas no comércio varejista restrito¹ recuou 0,2% na série com ajuste sazonal, em relação ao mês anterior, segunda queda consecutiva nesta base de comparação, porém em menor intensidade. Este resultado é reflexo da redução do auxílio emergencial a partir de outubro de 2020, levando a uma redução no consumo das famílias e com impacto direto no desempenho do comércio.

    Em relação ao mesmo período do ano anterior, o resultado também foi negativo e igual a 0,3%, interrompendo uma trajetória de sete meses de crescimento consecutivos nesta base de comparação. Com isso, o comércio varejista restrito acumula uma alta de 1,0% nos últimos 12 meses até janeiro deste ano, uma desaceleração no ritmo de crescimento observado nos dois meses anteriores.

    Em relação às atividades, 5 das 8 avaliadas pela Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), divulgada pelo IBGE, recuaram no mês, com destaque para “Livro, jornais, revistas e papelaria” (-26,5%), “Tecido, vestuário e calçados” (-8,2%), “Móveis e eletrodomésticos” (-5,9%) e “Hiper., super., alimentos, bebidas e fumo” (-1,6%). Neste último caso, além da característica sazonal do período, após vendas mais intensas associadas às festas de fim de ano, a atividade tem sido diretamente impactada pela alta inflação de alimentos. Considerando o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), o item alimentação e bebidas apresentou, em janeiro de 2021, aumento de 1,2% em relação ao mês anterior, exercendo o maior impacto sobre o índice total.

    Desta forma, é possível observar que o comércio nacional ainda amarga os reflexos da pandemia e medidas de isolamento social, com maior cautela das famílias para a expansão do consumo em meio a um cenário de persistente insegurança sanitária, elevada instabilidade no mercado de trabalho e fim do auxílio emergencial.

    ¹ não contempla a venda de veículos, motos, peças e materiais para construção.

    Especialista do Setor Fernanda Rodrigues