Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • carnes, empresas do setor carnes, aves, empresas do setor aves, suinos, empresas do setor suinos,  economia, macroeconomia
    Os preços da carne têm se mostrado um desafio ao consumidor brasileiro, em especial como resultado da demanda externa, além de fatores internos como diminuição de abates no segundo trimestre de 2021 e a redução no número de matrizes. A arroba bovina, que vem num comportamento recorde e crescente desde o final de 2019, não mostra sinais de arrefecimento, comportamento que se reflete também em outras proteínas, como suína e frango, por meio do efeito substituição. Com o desemprego elevado e a renda comprimida, o consumidor brasileiro tem optado também por outros tipos de proteína mais em conta, como o ovo de galinha, por exemplo.

    De acordo com os resultados preliminares da pesquisa de abates feita pelo IBGE (o resultado sai em 10/09), o abate de bovinos caiu 4,5%, enquanto o de suínos cresceu 7,1% e o de frangos aumentou 7,4% no segundo trimestre de 2021, na comparação com o mesmo trimestre de 2020. Já na comparação com o primeiro trimestre de 2021, houve aumento no abate de bovinos (7,7%) e no de suínos (3,2%), enquanto o de frangos caiu (-3,0%). 

    A seca em diversas regiões do país, que diminui a disponibilidade de grãos para ração e os custos de transportes majorados pela alta nos combustíveis fósseis, certamente tiveram impactos negativos sobre a decisão de produtores e compradores. Adicionalmente, com os preços de exportação elevados, há maior direcionamento de proteína para o exterior, reduzindo a disponibilidade interna e elabando ainda mais os preços.

    Na contramão, porém, os exportadores vêm obtendo resultados recordes. Além do já destacado aumento dos preços externos, a China segue comprando em grande intensidade e, entre janeiro e julho de 2021, o país asiático comprou 490,17 mil toneladas, 8,5% acima do observado no mesmo período do ano passado e correspondendo a 54% das vendas brasileiras. No total, embora o volume de carne exportada tenha caído nos sete meses de 2021 em comparação ao mesmo período de 2020, a receita cambial teve elavação de 6,75%, ultrapassando US$ 4,4 bilhões no que diz respeito apenas à carne in natura. 

    Analista responsável Marcos Henrique