Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • café, preço do café, preço do cafe, cafe melitta, máquinas de café, cápsulas de café, o café, 3 coraçoes, cafe 3 coracoes, cafe arabe, café pilão, preço do cafe hoje, café arábica, café em grãos, grão de café, preco cafe, cafe batido, industria de alimentos, empresas do setor café, empresas do segmento café, setor café, segmento café, economia, macroeconomia, cafeeiro, setor cafeeiro, segmento cafeeiro
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2019
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Marcos Henrique
    Para a safra de 2018/19, levando em consideração a bienalidade negativa, a Conab projeta queda na produção. O total deve ficar entre 50,4 e 54,48 milhões de sacas beneficiadas; a área também deve apresentar recuo no período, cerca de 1,2% a menos que na temporada passada. De um lado, o arábica, responsável pela maior parte da produção, deve recuar entre 23,9% e 19,6%; já o conilon tem redução estimada entre 13% e 15,2%.

    Além disso, estima-se que a produtividade alcance entre 27,4 e 29,58 sacas por hectare, o que significa uma redução de 17,1% a 10,6% em relação à safra passada. Estima-se que a queda deve ocorrer em boa parte das regiões produtoras. Nos locais onde predomina o cultivo de conilon, a expectativa é de produtividades próximas à da safra passada em virtude das boas condições climáticas, enquanto nas áreas da espécie arábica, a produtividade deverá ser menor que no último ano devido à bienalidade negativa.

    O clima quente entre dezembro e janeiro é outro fator preocupante para o setor. A própria Cooxupé, maior cooperativa do setor, estima queda na produção do arábica em torno de 15% para o próximo ciclo (2019/20).  

    Já no mundo, de acordo com o relatório de maio da International Coffee Organization (OIC), a produção para safra atual está estimada em 168,05 milhões de sacas, cerca de 1,5% acima da safra anterior. O consumo deverá continuar crescendo, de acordo com esta estimativa, cerca de 2% neste ano; o Brasil, principal player neste mercado, certamente será beneficiado. As vendas externas do país, nos primeiros 7 meses do ano cafeeiro (2018-19), tiveram alta de 26,3%, atingindo 24,2 milhões de sacas.

    Especialista do Setor Marcos Henrique.