Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • biodiesel, empresas do setor biodiesel, empresas do segmento biodiesel, setor biodiesel, segmento biodiesel, economia, macroeconomia
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2010
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Marcos Henrique

    O grupo chinês Noble Group, um gigante no gerenciamento de cadeias de fornecimento de produtos agrícolas, industriais e energéticos, confirmou o investimento de US$200 milhões em Rodonópolis (MT) para a construção de uma nova planta para o esmagamento de soja para a produção de biodiesel. O empreendimento, além de contar com mão de obra local para a construção das plantas fabris, posteriormente, poderá gerar entre 500 a 600 empregos diretos na região quando estiver em funcionamento.

    Estima-se que o projeto se inicie em 2011 com conclusão em 2012. Tal empreendimento é constituído de instalações de processamento de soja e uma usina de biodiesel, com perspectivas de esmagamento ao redor de 4 mil toneladas de soja por dia e 1,3 milhões toneladas por ano. A produção de biodiesel esta estimada em torno de 500 a 600 toneladas por dia o equivalente a 200 mil toneladas por ano, sendo a maior parte da produção destinada à exportação. De acordo com autoridades locais, Rondonopolis foi escolhida por suas vantagens logísticas e iminente construção de uma das malhas da estrada de ferro Ferronorte. Além desta unidade o Noble Group possui mais 5 unidades no Brasil sendo uma unidade produtora de biodiesel em São Paulo, e outras espalhadas pelo país.

    Tal medida mostra-se em bastante ousada uma vez que a capacidade produtiva de biodiesel instalada no país esta em torno de 4,5 bilhões de litros por ano. Sendo que, com a mistura ao disesel utilizada atualmente, ou seja, o B5 (5% de Biodiesel e 95% de Diesel mineral) a necessidade anual é de aproximadamente 2,25 bilhões de litros por ano o que gera uma capacidade ociosa em torno de 50%. Mesmo com a expectativa de exportação, esta ainda encontra muitas barreiras junto aos mercados externos. Portanto, a não ser que haja mudanças nas condições de exportação do biodiesel, a Noble Group devrá encontrar alternativas internas para escoar sua produção.