Novo no site?


Login


Esqueceu a Senha? (X)

Recuperar Senha


(X)

Digite sua nova senha


(X)

Já tem uma conta?


Inscreva-se


(X)
Farooq


BLOG LAFIS

Home Blog
  • autopeças, empresas do setor autopeças, empresas do segmento autopeças, setor autopeças, segmento autopeças, economia, macroeconomia
    • Autor
      Lafis
    • Ano
      2020
    • Categoria
    • Analista Responsável
      Lais Cristina
    O setor de autopeças possui uma forte dependência da produção das montadoras. De acordo com os dados da Anfavea, diante do impacto da crise do Covid-19, no acumulado do primeiro semestre de 2020, a produção de autoveículos apresentou uma forte retração de 50,5% em relação ao mesmo período do ano passado. Nesse período, o mercado interno, apresentou uma queda de 38,9% das vendas de veículos leves, -19,1% dentre caminhões, e -40,6% nas vendas de ônibus. 

    De acordo com o Índice do IBGE, no acumulado do ano de 2020 até maio (últimos dados disponíveis), em relação ao mesmo período de 2019, a fabricação de autopeças no país apresentou uma queda de 38,9%.

    Até fevereiro, a Lafis estimava para o setor um crescimento de 6,6% do seu faturamento em 2020. Contudo, diante do cenário observado desde o início da segunda quinzena de março, a Lafis revisou suas estimativas para uma queda de 6,0% do faturamento nominal do setor, em Reais, em linha com o mercado, já prevendo uma retração do setor diante do avanço da pandemia no País.

    Já no final de julho, com o prolongamento das medidas para promover o isolamento social, a retração da produção das montadoras no primeiro semestre, a queda do fluxo de veículos, e as incertezas e insegurança em relação à contenção da pandemia no Brasil, a Lafis realizou uma revisão de suas estimativas, e prevê uma queda de 30% do faturamento nominal do setor, em Reais, atingindo cerca de 73,1 bilhões, uma perda superior à 20 bilhões de reais no ano.

    De acordo com o Sindipeças, as medidas lançadas pelo Governo para conter a elevação do desemprego, com a flexibilização das leis trabalhistas, contribui para manter o emprego do setor. Ainda assim, de janeiro a maio, o setor apresentou uma queda de 7,9% do emprego. A resiliência do setor no que tange à preservação dos empregos é benéfica ao setor, à medida que preserva um ativo importante das empresas.

    Especialista do Setor Laís Soares.